terça-feira, 17 de maio de 2016

Há 35 anos, uma das maiores lambanças da F1

Final de semana foi marcado por morte de mecãnico da Osella e atropelamento de mecãnico da Arrows

A 5ª etapa da Fórmula 1 de 1981 foi marcada por uma sucessão de erros que culmiram em um mecânico morto e outro gravemente ferido. A corrida, disputada no estreito circuito de Zolder foi vencida por Carlos Reutemann, com Jacques laffite em 2° e Nigel Mansell em 3° mas isso para todos que amam o esporte, pouco importa.



Na sexta-feira, o mecãnico Giovanni Amadeo foi atropelado nos boxes pela Williams de Carlos Reutemann a cerca de 90km/h (na época não havia limitação de velocidade nos pits e o espaço em Zolder era ínfimo). O mecãnico foi removido para o hospital mas não resistiu aos ferimentos e faleceu.

No domingo, a direção de prova cometeu seguidos equívocos e mais um acidente aconteceu. Nelson Piquet errou a posição de largada e deu uma segunda volta de apresentação. Com a demora para a largada, a Arrows de Riccardo Patrese apagou. O piloto italiano agitou os braços, em gesto característico para que não fosse dada a largada. O mecãnico da Arrows, Dave Luckett, acreditando que não haveria a largada, entrou na pista para tentar dar partida no motor do carro. Mas, inacreditavelmente, a direção de prova autorizou a largada e o outro carro da Arrows, pilotado por Siegfried Stohr bateu na traseira de Patrese mas atingiu as pernas de Dave que estava agachado atrás do carro de Patrese. O mecãnico teve múltiplas fraturas mas sobreviveu.



Mesmo com o atendimento a Dave Luckett sendo realizado na pista, a corrida continuou para desespero dos fiscais que acenavam bandeiras amarelas para os pilotos que rasgavam a reta de Zolder. Após tanta hesitação, a direção de prova paralisou a prova e ordenou nova largada e a corrida foi até o final com a vitória de Carlos Reutemann.

Nenhum comentário:

Postar um comentário