sexta-feira, 26 de maio de 2017

Palpites para a 3a Rodada

E vamos começar a brincadeira de palpitar para as rodadas do Brasileirão.

Pode printar e zoar a vontade. A zoeira não pode acabar.



Vasco 1x2 Fluminense
São Paulo 0x2 Palmeiras
Vitória 3x1 Coritiba
Atlético-MG 2x1 Ponte Preta
Santos 1x1 Cruzeiro
Atlético-PR 2x1 Flamengo
Atlético-GO 0x1 Corinthians
Sport 2x1 Grêmio
Botafogo 2x0 Bahia
Chapecoense 2x0 Avaí

Printem e me cobrem!

Beijundas

sábado, 20 de maio de 2017

Se a torcida do FLU não ajudar ...

Desde que me entendo por gente, a torcida do FLUMINENSE é conhecida como preguiçosa, aquela que só vai na boa e reclamona. Historicamente temos públicos pífios (com menos de 50% de ocupação do estádio) em jogos importantes e/ou decisivos. Como exemplos estão o jogo do título da Taça GB de 1985 contra o América, a semi-final do brasileiro de 88 ou a estreia na Libertadores de 2008.

Com a evolução do futebol e a maior facilidade de comunicação, hoje temos condições de receber muito mais informações. Os clubes ficaram obrigados por lei a publicar seus balanços e o do Fluminense é preocupante. Em 2016 tivemos um superávit de 8 milhões mas esse número não é para se comemorar pois foi conseguido com o recebimento de 80 milhões de luvas da TV e 52 milhões de venda de jogadores. Ou seja, não são receitas regulares.



Para 2017, a previsão é de déficit de 76 milhões. Isso pode diminuir caso o clube consiga um patrocínio master no meio dessa crise moral, ética, política e econômica do país. Como esse patrocínio é muito difícil nesse momento do Brasil, esse déficit só será menor se houver mais venda de jogadores do que o previsto (ou venda em melhores bases financeiras) ou com a nossa torcida acordando para a vida.

A previsão de receita com bilheteria para 2017 é de míseros e patéticos 9,2 milhões de reais. Outros clubes da série A, como Palmeiras e Corinthians, devem ter receita superior a 30 milhões em 2017.
Ou seja, para o FLUMINENSE é importantíssimo que a torcida entenda que sua presença ajudará o tricolor a ter um melhor desempenho financeiro e, quem sabe, vender menos jogadores. 

O que não podemos ter é um público medíocre como o da estreia do Campeonato Brasileiro. A receita dos 9888 pagantes sequer pagou as despesas operacionais do Maracanã e tivemos um prejuízo de 360 mil reais. A renda foi de pouco mais de 300 mil. O torcedor precisa ir ao estádio, precisa se unir ao clube que ama.



Outra ação importante do torcedor é se associar ao clube. Os planos do Sócio Futebol custam a partir de 18 reais e há benefícios como descontos em diversos produtos nos supermercados, por exemplo. Hoje temos pouco mais de 35 mil sócios e estamos 8000 sócios atrás do Sport. Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Internacional, por exemplo, têm mais de 100 mil sócios. Só para exemplificar, mais 10 mil sócios no plano de 35 reais significam 350 mil por mês ou 4,2 milhões ao ao. Sem dúvida uma injeção financeira importante para o nosso FLUMINENSE.

E você? Vai se associar? Vai comparecer ao estádio? #SomosFLUMINENSE

terça-feira, 9 de maio de 2017

Pelo fim dos estaduais - parte II

Tomando como base o campeonato carioca (quase todos são deficitários e ofensivos aos clubes), o estadual é um torneio que só traz prejuízo.

Flamengo e Fluminense jogaram 17 jogos do campeonato falido. Vasco jogou 15 e o Botafogo 14. A final do Falidinho 2017 teve renda de R$ 3.242.130,00. Fla e Flu ficaram com R$ 522.018,27 cada, sendo que o Flamengo teve penhora e o custo do anti-doping, sobrando R$ 437.035,53. Ou seja, de uma renda de mais de 3 milhões, os times, protagonistas do espetáculo ficaram com pouco mais de 1 milhão. Dos mais de 2 milhões retirados dos clubes, a FERJ ficou com 313.693,00, ou seja, praticamente 10% da renda BRUTA. E qual a importância da FERJ no espetáculo? A FERJ não serve nem para pagar a COOPAFERJ (Cooperativa de Árbitros de Futebol do Rio de Janeiro) e nem as taxas para Delegado e ouvidor do jogo. São despesas para além do que a Federação tunga dos clubes (R$ 21.428,55 e R$ 3.200,00 respectivamente, além do INSS de ambos. 15% e 20% respectivamente).

O lucro para não fazer nada é gigantesco. 313 mil reais e nenhuma responsabilidade, nenhuma atuação em benefício do futebol carioca e um presidente de comissão de arbitragem que justifica todos os "erros" absurdos de seus árbitros (mas isso é tema para a Parte III).

Com jogos absolutamente inúteis, sem nenhum apelo aos torcedores, em gramados esburacos, em horários estúpidos e com a permanente suspeita em cima da arbitragem, o resultado financeiro dos clubes não poderia ser diferente. Em levantamento feito pelo Jornalista Vitor Sérgio do Esporte Interativo e postado por ele no twitter, vemos prejuízo de mais de 1 milhão para o Botafogo, prejuízo de mais de 500 mil para o Vasco, Flu tendo pouco mais de 300 mil de lucro (salvo pela final), o Flamengo com pouco mais de 1,2 milhão de lucro e a FERJ com lucro de mais de 1,5 milhão.

Ou seja, Botafogo e Vasco pagaram para jogar no campeonato desnecessário da FERJ. Flu e Fla tiveram lucro mas que não paga a folha salarial de 1 mês do elenco (o torneio durou 3 meses). E a inútil e desnecessária FERJ embolsou 1,5 milhão para seguir destruindo o futebol carioca (os clubes também são culpados pois não rompem com ela).

Quem paga Diego, Sornoza, Luis Fabiano, Montillo não pode jamais se submeter a essa situação. Comprometem o ano financeiro dos clubes para manter uma massa falida como são os estaduais.

Veja abaixo a postagem do Vitor Sérgio (@vitorsergio).
#PeloFimDosEstaduais



segunda-feira, 8 de maio de 2017

35 anos sem Gilles Villeneuve

No Dia 8 de maio de 1982 falecia meu primeiro ídolo na Fórmula 1. O canadense Gilles Villeneuve sofreu um acidente no circuito de Zolder, na Bélgica, e foi arremessado, preso ao banco da Ferrari para o outro lado da pista.


Nascido em Quebec no dia 18 de janairo de 1950, Joseph Gilles Henri Villeneuve começou sua carreira em 1975. Em 76 e 77 sagrou-se campeão da Formula Atlantic no Canadá e nos EUA. Estreou, ainda em 77, na Fórmula 1 em Silverstone pela McLaren. Gilles terminou em 11° e a Ferrari o convidou  para ser companheiro de Carlos Reutemamn.

Sua primeira vitória foi em casa, em 1978. Gilles vinha em 3°, passou Scheckter para delírio dos canadenses e a quebra de Jarrier lhe deu a liderança que não mais perdeu. Além dessa, Gilles venceu mais 5 provas em sua carreira: África do Sul e os dois dos EUA em 1979, Mônaco e Espanha em 1981. Esse GP da Espanha, disputado em Jarama foi especial. Diversos pilotos se revezaram na segunda posição e durante toda a prova tentaram roubar a ponta do canadense. Em vão. Gilles venceu e, do 1° ao 5° a distãncia não chegou a 2 segundos.

Sua última corrida foi em San Marino onde chegou na segunda posição e sua melhor colocação no campeonato foi o vice de 1979. Mas Gilles será sempre lembrado pelo seu arrojo e coragem que o fizeram andar com apenas 3 rodas, com o spoiler dianteiro quebrado e atrapalhando sua visão, por andar sem a asa dianteira e por ultrapassagens em locais inusitados. Será lembrado também, junto de René Arnoux, pela mais linda batalha da história da F1. No GP da França de 1979, os dois pilotos batalhavam pelo 2° lugar e passaram mais de uma volta passando um ao outro e andando lado a lado a 200km/h em um espetáculo inesquecível.

68 GPs
107 pontos
6 vitórias
2 poles
8 voltas mais rápidas
13 pódios

Frases sobre Gilles:
I know that no human being can perforn miracles but Gilles made you wonder sometimes - Laffite
He was the craziest devil i ever came across - Lauda
Gilles showed that the man is more important than the car - Cheever
I loved him like a son - Enzo Ferrari
If he could come back and live his life again, I think he would do exactly the same - and with love - Jody Scheckter
I don´t think of death. Dying is part of the job - Gilles Villeneuve

Abaixo um vídeo de um tributo a esse ídolo do automobilismo raiz.
#GillesEterno